Artigos mais Recentes

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Mariana Godoy e o "NÃO" ao vivo na Globo News

Ontem no Jornal das Dez da Globo News a âncora Mariana Godoy quase ia saindo do script recorrente onde manifestantes devem ser sempre feridos em "confronto com a polícia" quando alguém gritou "NÃO" em seus ouvidos. 

 
"Agora, se são sete jornalistas feridos eu imagino a quantidade de manifestantes que realmente... NÃO... que entraram em confronto com a polícia..." 
Questionada, Mariana não respondeu a pergunta sobre QUEM disse o "NÃO":
Mariana abriu a reportagem falando que "houve confronto com a polícia" e "algumas pessoas ficaram feridas". As organizações Globo repetiram em seus diversos veículos o talking point "entraram em confronto com a PM", mesmo sobre cenas onde vemos manifestantes com as mãos para o alto sendo covardemente atacados pela tropa de choque.
"Manifestantes entraram em confronto com a PM" é exatamente o sentido que a frase ganha com a correção após o "NÃO" ouvido e repetido por Mariana Godoy, voltando a refletir o discurso homogêneo das Organizações Globo: manifestante só é ferido pela polícia quando "entra em confronto".

G1: "Manifestantes entram em confronto com a PM"
CBN: "Manifestantes entram em confronto com a PM"
JN: "Manifestantes entram em confronto com polícia" também no Rio.
O fato é que Mariana Godoy ouviu e repetiu um "NÃO" dito por alguém e emendou em sequência "entraram em confronto com a polícia". Tirem suas próprias conclusões. Se foi apenas uma coincidência, a ironia da situação não deixa de ser digna de nota. E aproveitem e vejam alguns vídeos de manifestantes, e até jornalistas, "entrando em confronto com a polícia":














4 comentários:

  1. Sabendo que no ponto em seu ouvido, iriam censura-la, ela propositalmente começou a falar a verdade, e encostou o ponto no microfone para que ficasse gravado a censura. Por isso ouvimos o NÃO. Depois ela continuou, seguindo o direcionamento indicado pelo censurador. Isso mostra como os jornalistas são direcionados o tempo todo, muitos até querem falar as verdades, mas não podem, senão são demitidos e não conseguem emprego nem como entregadores de jornal.

    ResponderExcluir
  2. desculpa pela "burreza" aqui, mas estou meio confusa. o que está todo mundo achando que ela ia falar antes do NÂO? "eu imagino o número o de manifestantes que realmente.." o que? não entendi!! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que se jornalistas, que obviamente não confrontaram a polícia, estavam feridos, imagina quantos manifestantes que não confrontaram a polícia foram feridos também.

      Excluir
  3. Entre outras motivações, imagina se a globo vai "transferir" seu foco de ataque aos governos dos estados, seu foco é claro: a dilma! tenta usar a seu favor, no frigir dos ovos, uma reivindicação iniciada pelo movimento passe livre. e nos serve reportagens com tais revelações, pois sente-se folgada por sua larga experiencia em "campanhas" particulares (travestidas de vontade geral da população) que só sacia #extremistassinceros #fascistasclassemediadadireita de sempre. mas não esperavam que a voz da mídia não oficialesca, das redes, tivesse crescido e se fortalecido tanto desde a última campanha pra presidente. Essa nova mídia tem dois lados, como tudo na vida, mas é feita por todos nós, e quem tiver um discurso justo e um grande ideal (coisa que as organizações globo, a falha de são paulo, estadão, veja e afins não possui!)será ouvido, creio eu.
    Ao mesmo tempo já ouvi de esquerdiasta de carteirinha que um novo ciclo vem aí. que a direita sobe ao poder mais uma vez nesse país. O que vc acha, Marés, que a voz da direita tem vez nas próximas eleições? mas com qual candidato, meudeus? a gente não merece isso! valeska- acabouoasfalto!)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails